sábado, 1 de agosto de 2009

Romance Curta-Metragem (ou Antes do Amanhecer)

Ele sempre se interessava por garçonetes, talvez pela imagem de uma moça bonita lhe servindo bebidas e sorrindo cada vez que ele pedia outra, talvez por frequentar bares demais.
Naquela noite ele estava jogando bilhar com desconhecidos num bar moderno, de frente a uma praça toda iluminada, em uma turística cidade sulamericana. Trocava olhares e conversinhas com uma linda garçonete, que respondia da mesma forma.
Ele se encantava à cada sorriso dela, e sorria mais à cada gole de pisco. Tímido quando sóbrio, agora já a convidava pra sair, quem sabe um passeio às três da madrugada, ela poderia mostrar a cidade...
Ele não desistiu nem quando foi varrido para fora do bar. Esperou do lado de fora até ela sair.
Sentiu-se em uma cena de cinema. Ela saindo em slow motion (provável efeito da bebida), em direção a um taxi, voltou-se quando o viu, disse que precisava ir mas queria vê-lo novamente, ofereceu seu telefone. Ele sacou do bolso um pedaço de papel, a conta do bar. Ela procurou pela bolsa e só encontrou um batom. Apaixonado por cinema, ele sorria e sentia-se em um filme da Sophia Coppola ou do Richard Linklater, a iluminada praça, a linda garota escrevendo seu telefone com batom, num país estrangeiro...
Ele a tomou de sopetão e a beijou com vontade. Um beijo que impressionaria Clark Gable, e derreteria os corações das telespectadoras mais sensíveis.
Um beijo de olá e de adeus.
Enquanto se afastavam ele disse:
- Gracias... - e sentindo-se um idiota por agradecer o beijo, completou - por el teléfono.
Ela, já perto de entrar no taxi, pareceu fazer questão de que ele não ficasse sem graça, e disse de longe, mas alto o suficiente para que ele escutasse:
- Gracias por el beso! - sorriu, entrou no taxi e saiu de cena.
Ele saiu andando pela bela praça iluminada e, tendo apenas bêbados e taxistas como espectadores, terminou seu romance curta-metragem com um pequeno salto, batendo os calcanhares no ar, e dançando seu caminho de volta para a hospedaria, talvez pela satisfação, talvez pela bebedeira, mas certamente porque Gene Kelly o faria.

4 comentários:

Aninha disse...

hahah sabe q já protagonizei venas parecidas?

enfim, é o mesmo, acho, de novo...

eu não aprendo! rsrs

beijos

nicole disse...

adorei !

Ariela disse...

Deparei-me com seu blog!

Estava em uma busca incosnciente por algo de mais essência para ler. E como disse: deparei-me com o seu blog.

Palavras mui interessantes você tem. Dentre todos aqueles em que esbarro, o seu foi um dos únicos que me inspirou a deixar um recado [e, confesso!, a montar um blog]rs.

mackenzie disse...

Noooossa muito bom hein brunão!!!
Só faltou dizer a musica que esse fulano saiu cantando no fim do curta metragem!!!