sábado, 19 de junho de 2010

O Inferno, Segundo o Envagelho de Bruno

Assim que você morre ainda não percebe para onde foi. Você se encontra no meio de uma balada, uma festa, você já está meio bêbado e sua cabeça dói um pouco de tanta cerveja e cigarros. Há uma garrafa vazia na sua mão, então você compra uma bebida. Por todos os lados garotos e garotas bem vestidos dançam ridiculamente, sentindo-se superiores uns aos outros e exibindo seus corpos em poses ensaiadas no espelho, mostrando seus melhores traços e perfis. Como se sentem melhores que você, nenhuma garota sequer olha na sua cara. Você compra outra cerveja. A música repete uma batida eletrônica chata a qual ninguém consegue dançar no ritmo. De vez em quando um cara para pra falar com você, te fazendo pensar que fez um amigo, mas o cara não para mais de falar e conta estórias como do dia que tirou um olho de peixe do pé. Outra cerveja, a dor de cabeça aumenta e você continua só meio bêbado. As pessoas dançam, a música toca e você não sabe se está no limbo ou se ficou louco. Mas isso dura a eternidade e, infelizmente, o dinheiro acaba.

5 comentários:

Anônimo disse...

Enfim um blog q me dá vontade de ler. Tá q eu sou sua fã a anos, desde antes de vc ir pra Australia, ou até mesmo de ve-lo todos os dias na escola... porém poucas pessoas escrevem tão bem.. Continue escrevendo evangelhos legais.. gostei. Enfim... era isso.

b disse...

obrigado, mãe...

Anônimo disse...

Por nada, filho

Joana Cabral disse...

O sentir-se deslocado do lugar comum, o tentar encontra-se onde não seremos jamais reconhecido... a superficialidade reina em lugares como esses... A partir do seu inferno, fiquei pendando nos meus infernos...

Anônimo disse...

nem sei pq leio isso!só pra sentir mais tua falta!quero mto q tu estejas bem...q faças mtas coisas..e q volte...quero que volte...
bjo...volte....bjo