sábado, 19 de abril de 2008

Anti-Heróis

Acho que toda criança - garotos principalmente - gostam de super-heróis. Eu, como todos, gostava de heróis, Mas conforme cresci, passei a gostar mais dos anti-heróis, aqueles personagens contraditórios, muitas vezes perdedores, sempre me identifiquei mais com esses.
Um dos meus preferidos sempre foi o Tintin, criado pelo cartunista belga Hergé (nome que vem das iniciais RG, Remi George), um jovem repórter, curioso e aventureiro, sempre resolvendo casos de crimes e conspirações políticas.
Tintin não possui superpoderes, não é grande, nem forte e nem marrudo. É inteligente, sagaz, politicamente correto, mostra porém, ser bom de briga diversas vezes.
Eu sempre pensei, eu podia ser ele, acompanhado de seu cãozinho terrier branco Milú, e de outros personagens como o Capitão Haddock, os policiais desastrados Dupond e Dupont, e o cientista prof. Girassol (que não escuta nada direito). Um herói fácil de ser. Sempre se livrando de todas as enrascadas por golpes de sorte.
Digo que me interessei muito por história e geografia e até jornalismo por influência desse personagem.
Um filme vai ser feito agora.
Na verdade, três filmes.
Uma trilogia de Tintin, dirigidos por Steven Spielberg e Peter Jackson, dizem que vai ser feito em captação de movimentos, em 3D.
Eu, sei lá.
Acho que a simplicidade, além de marcante, é importante à série. Os diretores são famosos por blockbusters hollywoodianos, efeitos especiais...
Eu?
Só espero que meu personagem favorito se mantenha igual, aventureiro, sagaz, sortudo, e com o velho topetinho.

2 comentários:

Ana disse...

Que bom que você passou por essa mudança. Quando a gente cresce, os anti-heróis são muito mais interessantes. O mesmo acontece com algumas mulheres, que passam a preferir o desajeitado e humano Schrek ao perfeitinho e frio Príncipe Encantado.

Ana

(www.abobrinhasdaaninha.blogger.com.br)

Kadu disse...

sempre curti os anti heróis tb... rsrs
fala Bruno, curti cara
abraço